Menu Right

Top Social Icons

Publicidade
Publicidade
18 9 99631 6205
WhatsApp
WhatsApp

domingo, 19 de julho de 2020

Homem é preso após ameaçar a esposa de morte e xingar policiais militares durante atendimento de ocorrência de violência doméstica

Caso ocorreu na Vila Nova Prudente, em Presidente Prudente, neste sábado (18). Autor ainda tentou danificar o vidro da viatura da Polícia Militar.


Atualizado 19/07/2020 12h40   


Homem é preso após ameaçar a esposa de morte e xingar policiais militares durante atendimento de ocorrência de violência doméstica

Um homem de 47 anos foi indiciado por violência doméstica, desacato, injúria, ameaça e resistência, neste sábado (18), em Presidente Prudente.


De acordo com o Boletim de Ocorrência, a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de violência doméstica em uma residência na Vila Nova Prudente. No local estavam a vítima de 40 anos e o autor. A mulher relatou que está casada com o marido há 23 anos e que "já teve problemas anteriores, especialmente quando o autor ingere bebidas alcoólicas e fica violento".



A mulher ainda disse aos policiais que em 2018 registrou uma ocorrência de violência doméstica contra o marido. Ela falou também que neste sábado (18) foi ameaçada de morte e xingada de nomes de "baixo calão". Consta no BO que a vítima alegou que vai pedir a separação, pois não tem mais "condições de convivência" com o esposo.



Os policiais militares afirmaram que enquanto conversavam com a vítima, o homem saiu da casa e fez ameaças de morte contra a esposa, que foi novamente xingada. O indiciado também xingou os policiais, dizendo que eram "vagabundos e uns merdas", e que pagava os seus salários. Ele também tentou danificar o vidro da viatura da PM, mas não conseguiu.



Ao ser algemado, o homem caiu no chão junto com os policiais. O indiciado sofreu escoriações no ombro e no joelho. O uso de algemas foi justificado para que o autor não fugisse.



O homem foi encaminhado para a Delegacia Participativa, onde a ocorrência foi apresentada. Por fim, o delegado de plantão representou pela prisão preventiva do homem de 47 anos, já que "os comportamentos evidenciam o firme propósito em continuar a praticar crimes e causar perturbação à ordem pública".



A vítima foi orientada quanto ao prazo decadencial de seis meses para o oferecimento de representação criminal contra o marido.



Veja mais notícias em: Adamantina Noticias
close button
Anuncie