Menu Right

Top Social Icons

Slider Area 1

Slider Area 2

Slider Area 3

Publicidade
Publicidade
18 9 99631 6205
WhatsApp
WhatsApp

Destaques Gerais

Cultura

Últimas Notícias

Cultura

Gastronomia

Opinião

Publicidade

Comportamento

Astrologia

Adamantina

Publicidade

Esportes

Tecnologia

Games

Publicidade

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Após agredir a companheira com cabo de vassoura e socos na boca, homem é golpeado com faca pela vítima e acaba preso

Mulher, de 41 anos, perdeu três dentes, sofreu escoriações no pé e na perna esquerda e hematoma no olho esquerdo. Ocorrência foi registrada na madrugada desta segunda-feira (18), em Panorama (SP).

 Atualizado 

Por: G1 18/04/2022 às 23:59 

Após agredir a companheira com cabo de vassoura e socos na boca, homem é golpeado com faca pela vítima e acaba preso
FOTO - REPRODUÇÃO GOOGLE

Um homem de 43 anos foi preso em flagrante depois de agredir a própria companheira, de 41 anos, na madrugada desta segunda-feira (18), no bairro Bela Vista, em Panorama (SP).


De acordo com a Polícia Militar, a vítima contou que estava bebendo em companhia do amásio e, por motivos de ciúmes, ele começou a agredi-la com socos na boca e bater em suas pernas com um pedaço de cabo de vassoura.


Ainda conforme a mulher, em certo momento o agressor pegou uma faca e a golpeou no tornozelo. Ela, para se defender, conforme a polícia, segurou o braço do homem e o atingiu com uma facada nas costas.


Neste momento, a vítima foi para a rua e pediu por socorro.


Devido as lesões nos envolvidos, os dois foram levados ao Pronto-socorro. A mulher apresentava lesão na boca, com a perda de três dentes, escoriações no pé e na perna esquerda e hematoma no olho esquerdo. Já o agressor apresentava uma perfuração nas costas, no lado esquerdo.


O homem foi preso em flagrante e, por conta do ferimento, transferido ao Hospital Regional (HR), onde permaneceu sob vigilância da Justiça.


quinta-feira, 24 de março de 2022

Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes

Vítimas atuavam na extração de eucaliptos. Agentes constataram que os alojamentos eram precários, sustentados por lonas plásticas, e configuraram condições degradantes de trabalho.


Atualizado


Por: G1 24/03/2022 às 10:26


Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes

Quatro trabalhadores foram resgatados de condições análogas à escravidão em Alfredo Marcondes (SP). Eles prestavam serviços na extração de eucalipto, como corte, limpeza e acondicionamento. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (24) pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).


A operação foi realizada no dia 17 de março pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM) do Ministério do Trabalho e Previdência, em conjunto com o MPT e a Polícia Federal (PF). Entre as vítimas não havia menores de idade e idosos.


Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes

A denúncia foi remetida às autoridades por meio do disque 100. Conforme o MPT, a equipe de inspeção constatou diversas irregularidades no meio ambiente de trabalho, tais como não fornecimento de equipamentos de proteção individual compatíveis com os riscos ocupacionais da atividade, falta de treinamento na operação de motosserras e de máquinas agrícolas e a não disponibilização de material de primeiros socorros, dentre outras.


Contudo, a situação mais grave foi encontrada nos alojamentos. Os trabalhadores, residentes de municípios vizinhos, passavam a semana no local executando as suas atividades, e neste período, pernoitavam em barracas de lona plástica abertas, desprovidas de portas e janelas, expondo-os às intempéries e ao risco de contato com animais peçonhentos.


Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes


Ainda segundo o MPT, os colchões, instalados sobre pneus e caixas, acumulavam sujeira e não havia roupa de cama.


O botijão de gás utilizado pelos trabalhadores para acender o fogão estava instalado dentro do alojamento, gerando riscos de incêndio e intoxicação.


No local também não havia armários, de forma que as roupas e demais pertences eram acondicionados no chão, além de instalações elétricas precárias, com partes energizadas expostas, aumentando o risco de choque elétrico e incêndio.



Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes


Apesar das condições degradantes a que foram submetidos os trabalhadores, todos eles tinham registro em carteira de trabalho. Eles recebiam salários por produtividade.


Os auditores fiscais do trabalho lavraram termo de resgate de condições análogas à escravidão, além de acompanharem o pagamento das verbas rescisórias quitadas pelo empregador. Como os trabalhadores foram resgatados em tais condições, há o direito de receber as guias de seguro-desemprego.



Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes


O MPT celebrou termo de ajuste de conduta (TAC) com o empregador, no mesmo dia da operação, pelo qual o signatário se comprometeu a adotar todas as medidas para manter um meio ambiente de trabalho hígido e seguro, a manter alojamentos em condições dignas, segundo as normas vigentes, a observar todo o arcabouço de obrigações no que diz respeito à formalização de contratos e pagamento salarial de acordo com a lei, e a pagar as verbas rescisórias devidas aos empregados prejudicados, bem como uma indenização por danos morais individuais no valor de R$ 2.500 para cada um.


O TAC também prevê o pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 9.990,22, sendo R$ 6.400 em favor da Associação do Asilo Vicentino Nossa Senhora da Penha, em Pirapozinho (SP), e R$ 3.590,22 em favor da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), de Presidente Prudente (SP).



Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes


Os trabalhadores receberam os pagamentos das verbas trabalhistas devidas nessa quarta-feira (23). O cumprimento integral do TAC será fiscalizado pelos auditores fiscais do trabalho e pelo MPT.


A multa por descumprimento das obrigações é de R$ 1.000 por item infringido, multiplicada por R$ 500 por trabalhador prejudicado.


Quatro trabalhadores são resgatados de trabalho análogo à escravidão em Alfredo Marcondes






Operação prende mulher suspeita de liderar grupo que furtou mais de R$ 1 milhão de lojas de grifes no Oeste Paulista

Ação da Polícia Civil foi realizada nesta quarta-feira (23). Ela foi presa no momento em que chegava em shopping, em Curitiba (PR).

Atualizado

Por: G1  24/03/2022 às 09:54

Operação prende mulher suspeita de liderar grupo que furtou mais de R$ 1 milhão de lojas de grifes no Oeste Paulista
Foto: Réprodução Polícia Civil

Uma mulher, de 24 anos, suspeita de liderar um grupo criminoso que furtou lojas de grifes no Oeste Paulista, foi presa no desdobramento da Operação Trapo de Luxo, nesta quarta-feira (23). Ela foi localizada em Curitiba (PR). A estimativa é que as vítimas tenham tido prejuízos de mais de R$ 1 milhão com o furto dos produtos.

Foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva em desfavor de duas mulheres suspeitas de integrarem organização criminosa. A suposta líder da organização foi detida quando chegava em um shopping de Curitiba (PR). Ela foi levada para a Cadeia de Dracena (SP).


Já a outra mulher, que não teve a idade divulgada, não foi localizada nos endereços diligenciados e já é considerada foragida da Justiça.


A Polícia Civil também apreendeu várias peças de roupas e será averiguada a procedência do material.


Durante ação policial também foi apreendido um veículo que estava na posse da mulher presa e que, posteriormente, poderá ser utilizado como forma de restituir os prejuízos das vítimas.


A operação foi liderada pela Delegacia de Polícia Civil de Junqueirópolis (SP), com apoio de agentes do Deinter-8 e do Estado do Paraná.


Na primeira fase da operação “Trapo de Luxo”, a Polícia Civil descobriu que o grupo criminoso praticou furtos em estabelecimentos comerciais das cidades de Junqueirópolis (SP), Presidente Epitácio (SP), Presidente Venceslau (SP), Rancharia (SP), Teodoro Sampaio (SP), Santo Anastácio (SP) e Pacaembu (SP). “Estima-se que os comerciantes que foram alvos da ação criminosa tenham sofrido prejuízo num valor superior a R$ 1 milhão”, afirmou a corporação.



Operação prende mulher suspeita de liderar grupo que furtou mais de R$ 1 milhão de lojas de grifes no Oeste Paulista
Foto: Réprodução Polícia Civil


Ainda na primeira fase cinco pessoas foram presas.


quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Trio é preso após roubar sete funcionários de shopping com simulacro de arma de fogo - Adamantina Notìcias

Assalto foi na noite desta terça-feira (11), perto do Museu Municipal de Presidente Prudente (SP). Criminosos tentaram fugir, mas carro não tinha potência.

Atualizado

Por:G1 12/01/2022 às 10:28

Trio é preso após roubar sete funcionários de shopping com simulacro de arma de fogo  -  Adamantina Notìcias
Foto: Reprodução Polícia Militar

Três pessoas foram presas em flagrante por roubo, em Presidente Prudente (SP), nesta terça-feira (11). Segundo o Boletim de Ocorrência, armado com um simulacro de arma de fogo, o trio abordou sete pessoas e anunciou o crime.


Ainda segundo o registro policial, os três homens e as quatro mulheres, caminhavam pela Rua Doutor João Gonçalves Foz, no Jardim das Rosas, por volta das 22h40, perto do Museu Municipal.


Eles informaram que trabalham em um shopping perto do local do crime e que iriam até a casa de uma amiga para se trocarem e depois saírem. Contudo, durante o caminho, eles viram duas pessoas. A dupla usava blusa de frio com o capuz cobrindo parte do rosto.


Essas duas pessoas se aproximaram e uma portava uma arma de fogo. Elas anunciaram o roubo. Porém, inicialmente, as vítimas acharam que era uma "brincadeira, mas depois perceberam que era sério".


Os criminosos recolheram os objetos das vítimas e fugiram a pé, correndo em direção à Avenida Manoel Goulart, virando sentido ao Cristo Redentor.


Em seguida, as vítimas relataram que viram um motociclista que disse que viu a dupla entrar em um carro. Ele tentou seguir os dois, mas os perdeu de vista.


Foram levados das vítimas roupas, cartões bancários, documentos pessoais, telefones celulares, chaves, e dinheiro.


A Polícia Militar foi acionada e saiu em busca dos criminosos. Em patrulhamento pela Avenida Washington Luiz, perto da Rua Reverendo Coriolano, a equipe viu um carro com as mesmas características do usado para a fuga da dupla.


No automóvel, estavam três pessoas. Elas tentaram fugir, mas com a "falta de potência do veículo", acabaram desistindo e foram abordados. O carro era conduzido por uma mulher. No banco do passageiro da frente estava um homem e havia uma passageira atrás, que portava na cintura um simulacro de arma de fogo, tipo pistola.


No veículo ainda havia vários objetos, entre roupas, cartões bancários nominais, seis celulares, e R$ 134 em dinheiro.


Questionados, a motorista disse que apenas deu carona aos passageiros. A outra mulher permaneceu em silêncio. Já o homem confessou o roubo e disse que "estava precisando de dinheiro".


O trio, as vítimas e os objetos foram levados para a Delegacia Participativa da Polícia Civil. Na unidade policial, as três pessoas foram reconhecidas pelos funcionários do shopping como autores do assalto.


Os objetos foram devolvidos às vítimas. Consta no BO que os três presos possuem antecedentes criminais por crimes como roubo, corrupção de menores, lesão corporal, tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. Eles têm 22, 24 e 27 anos.


Já as vítimas têm idades entre 19 e 23 anos.

Trio é preso após roubar sete funcionários de shopping com simulacro de arma de fogo  -  Adamantina Notìcias
Foto: Reprodução Polícia Militar


terça-feira, 4 de janeiro de 2022

Quando (e como) os cientistas acham que o Sol vai explodir? - Adamantina Notìcias

A coisa mais certa que sabemos sobre a vida é que um dia ela chega ao fim. E, assim como os seres humanos, o que se sabe é que a "vida" do Sol também é um ciclo e terá um final. Mas em quanto tempo e como será que nossa estrela deverá explodir?

Atualizado

Por:Uol 04/01/2022 às 11:00

Quando (e como) os cientistas acham que o Sol vai explodir?   -  Adamantina Notìcias
Foto - Arquivo

Primeiramente, fique calmo! Apesar de haver a certeza de que um dia o Sol deixará de ser como conhecemos atualmente, isso irá demorar mais do que a idade atual da Terra - 4,5 bilhões de anos.


A previsão é que a "sequência principal" do Sol, ou seja, a etapa mais longa da vida de uma estrela, na qual a fusão nuclear do hidrogênio permite que ele irradie energia e forneça pressão suficiente para evitar que a estrela entre em colapso sob sua própria massa, demore aproximadamente 5 bilhões de anos para terminar.



Assim, nosso Sol, que possui 5 bilhões de anos de existência, está exatamente na metade da "vida". O ciclo de vida de uma estrela é determinado pela sua massa, assim, quanto maior a massa, mais curta será a duração daquela estrela.


Como medimos o tempo de vida de uma estrela?

Atualmente, os cientistas conseguem ter bastante precisão em calcular a idade do Sol. Para isso, os estudiosos precisavam saber como ele emitia energia, o que era difícil antes que a fusão nuclear em massas solares pudesse ser levada em consideração.

Após os astrônomos e astrofísicos conseguirem um melhor entendimento sobre a fusão, foi possível criar modelos mais complexos, utilizando também dados de emissões observadas de diversas estrelas.


"Ao reunir muitas informações diferentes de muitas estrelas diferentes, os astrônomos e astrofísicos poderiam construir um modelo de como as estrelas evoluem. Isso nos dá uma estimativa bastante precisa da idade do sol", afirmou Paola Testa, astrofísica do Center for Astrophysics, ao site "Live Science".


Além disso, a estimativa da idade atual do Sol é confirmada pela datação radioativa dos meteoritos mais antigos conhecidos, que se formaram a partir da mesma nebulosa solar - uma espécie de disco giratório de gás e poeira, que deu origem ao Sol e aos corpos planetários em o sistema solar.


Mas como será o fim do Sol?

Aparentemente, teremos um bom tempo para pensar no que fazer caso o Sol deixe de existir da maneira como conhecemos. Mas você já parou para pensar como uma estrela tão poderosa quanto o Sol chegaria ao fim?


O Sol é uma estrela de baixa massa que libera energia na forma de luz e calor que são resultado do gás hidrogênio aquecido a 2 milhões de graus Celsius. É essa queima do hidrogênio que deve continuar por mais 5 bilhões de anos, até quando chegará um ponto em que o Sol fará uma transição para sua próxima fase, tornando-se uma gigante vermelha.


De acordo com a Nasa, quando chegar nesse estágio, o Sol vai parar de gerar calor por meio de fusão nuclear e seu núcleo ficará instável e contraído. Em contrapartida, a parte externa do Sol ainda conterá hidrogênio e se expandirá, brilhando em vermelho conforme for esfriando.


Inicialmente, essa expansão irá engolir Mercúrio e Vênus, os planetas mais próximos do Sol, e aumentará os ventos solares a ponto de aniquilar o campo magnético da Terra e retirar nossa atmosfera.


Além disso, se o brilho do Sol aumentar em 10%, cientistas acreditam os oceanos do nosso planeta evaporem totalmente entre 1 bilhão e 1,5 bilhão de anos. Mas não para por aí: após alguns milhões de anos da expansão inicial do Sol, é provável que ele consuma todos os restos rochosos da Terra, segundo uma pesquisa publicada em 2008 na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.


Mas tudo isso ainda não será o colapso do Sol. A estrela deve começar a fundir o gás hélio que sobrou da fusão do hidrogênio em carbono e oxigênio, antes de finalmente colapsar. Quando isso ocorrer, o Sol deixará para trás uma concha brilhante de plasma quente, chamada de nebulosa planetária.


Depois disso, o Sol deve encolher e ficar do tamanho da Terra, porém incrivelmente mais denso e quente, transformando-se em uma anã branca, que poderá ser vista por apenas 10 mil anos (um piscar de olhos se pensarmos no tempo de vida do universo). A partir daí, o restante de nossa poderosa estrela passará trilhões de anos se resfriando antes de se tornar um objeto não-emissor.


Cruzeiros tiveram quase 800 casos de Covid em nove dias, diz Anvisa - Adamantina Notìcias

Segundo agência, aumento foi 'exponencial' e, por isso, temporada precisava ser suspensa. Atividades ficarão paralisadas até o dia 21

Atualizado

Por:R7 04/01/2022 às 10:44

Cruzeiros tiveram quase 800 casos de Covid em nove dias, diz Anvisa  - Adamantina Notìcias
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO - 02.01.2022 Réprodução


Após recomendar a suspensão da temporada de cruzeiros no país, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informou que quase 800 casos de Covid-19 foram confirmados a bordo das embarcações atracadas na costa do Brasil em um intervalo de apenas nove dias.


Segundo a agência, desde que a temporada de 2021-2022 dos cruzeiros teve início, em novembro do ano passado, 829 pessoas, entre tripulantes e passageiros dos navios, foram diagnosticadas com o novo coronavírus. Desse total de casos, só 31 foram confirmados entre 1º de novembro e 25 de dezembro. Os 798 restantes foram registrados de 26 de dezembro até esta segunda-feira (3).



De acordo com a Anvisa, 502 casos de Covid-19 foram diagnosticados entre tripulantes, o que representa 60% dos casos positivos a bordo das embarcações.


"Tal mudança repentina e brusca do contexto epidemiológico, provavelmente decorrente do surgimento da variante Ômicron, requer nova avaliação do cenário da pandemia de Covid-19. Os dados referentes ao cenário epidemiológico a bordo das embarcações de navios de cruzeiro reforçam a nota técnica da Anvisa, expedida na última sexta-feira (31/12), que recomendou ao Ministério da Saúde a suspensão provisória imediata da temporada de navios de cruzeiro no Brasil", frisou a Anvisa. 


Reunião com estados, municípios e empresas

Nesta segunda, integrantes da Anvisa, do Ministério da Saúde, da Casa Civil e de outros órgãos do governo federal se reuniram com representantes dos estados e cidades em que os navios estão atracados e com empresas do setor, para debater a situação das embarcações.



De acordo com a Anvisa, "os estados e municípios foram unânimes em reiterar a posição da Anvisa pela suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiro no Brasil, até que se obtenham novos dados para melhor avaliação de eventual cenário de retomada".


A agência ainda afirmou que estados e municípios tiveram dificuldade na obtenção dos dados epidemiológicos junto às empresas responsáveis pelas embarcações, "o que prejudicou a condução oportuna das investigações pelas autoridades locais de saúde".


"Outro ponto de destaque foi a dificuldade de identificação de contatos próximos de casos suspeitos ou confirmados de Covid-19, por se tratar de ambiente confinado, o que pode contribuir para disseminação mais rápida da doença caso medidas adicionais de controle não sejam adotadas", acrescentou a Anvisa.



A reunião culminou na suspensão das atividades de cruzeiro até o dia 21 de janeiro. Antes desse encontro, contudo, a Clia Brasil (Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros) já tinha anunciado a paralisação temporária da temporada de cruzeiros.


Segundo a Casa Civil, "o governo federal continuará, nos próximos dias, a promover reuniões com municípios, estados e empresas para, juntos, reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades".

Menino é atingido por tiro no réveillon, não percebe ferimento próximo ao coração e continua brincando em SP

Menino estava com outras crianças em uma praça de São Vicente, no litoral de São Paulo, quando foi atingido. Ele realizou uma cirurgia, mas não houve necessidade de a bala ser removida.

Atualizado

Por:G1 04/01/2022 às 09:58

Menino é atingido por tiro no réveillon, não percebe ferimento próximo ao coração e continua brincando em SP
Foto: Reprodução Arquivo Pessoal

Um adolescente de 13 anos foi internado em Santos, no litoral de São Paulo, após ser atingido por uma bala perdida e o projétil ficar alojado próximo ao coração, durante a virada de ano em São Vicente, cidade vizinha. Em entrevista ao g1, a mãe de Guilherme Carvalho da Silva contou que o menino não percebeu o tiro e continuou brincando em uma praça, mesmo ferido. Ele continua internado, mas passa bem.


O caso ocorreu na madrugada do dia 1º, minutos após a virada do Ano Novo, na Praça Cora Coralina, no bairro Catiapoã. A mãe menino, Priscila Sabino da Silva, conta que a família estava reunida na frente do portão da casa onde moram, bem próximo à praça, e as crianças haviam ido ao local para soltar bombinhas.


"A gente havia acabado de cear. Não demorou meia hora, ele desceu com a mão na ferida, dizendo 'mãe, estou com dor na barriga', e perguntei se ele estava correndo. Achei que fosse uma indigestão, porque ele tinha acabado de comer e correu. Massageei um pouco a barriga dele, e ele reclamando de dor", explica a manicure.

Segundo ela, Guilherme continuou reclamando de dor, e quando ela levantou a camisa dele, percebeu que tinha um "furo" na barriga, e um pouco de sangue. Ela percebeu que poderia ser um ferimento causado por uma bala, e decidiu levá-lo urgentemente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Noroeste. No local, foi constatado que, de fato, o ferimento foi provocado por uma arma de fogo.


O menino recebeu os primeiros atendimentos na UPA, e em seguida foi encaminhado a um hospital de Santos. Após exames, foi constatado que a bala entrou na região abdominal, e parou bem próximo ao coração. O menino passou por uma cirurgia, e foi avaliado por um cirurgião torácico. "Os médicos falaram que tem casos que não precisa ser retirada, que retirar é pior do que deixar. Graças a Deus, ele não vai precisar passar por uma nova cirurgia", agradece Priscila.

Menino é atingido por tiro no réveillon, não percebe ferimento próximo ao coração e continua brincando em SP
Foto: Reprodução Arquivo Pessoal

Não sentiu o tiro

Priscila afirma que o filho sequer notou que havia sido atingido por uma bala perdida, continuou brincando, e só foi até a mãe quando a dor começou a aumentar. Como ele estava brincando com amigos que soltavam bombinhas, e havia muita fumaça, eles também não notaram que a roupa estava manchada de sangue.


"Ele suportou a dor sem saber que era uma arma de fogo. Graças a Deus, o coração dele está em perfeito estado, não teve nenhum ferimento [no coração], e não vai precisar retirar a bala. Fiquei em estado de choque, é uma sensação inexplicável. A sensação é de que a gente não pode fazer nada para ajudar o próprio filho, fica de mãos atadas", finaliza. O menino continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas passa bem, conforme relata a mãe.


A Polícia Militar foi acionada para atender ao caso na manhã seguinte, e encaminhou a ocorrência ao 1º DP de São Vicente, onde foi registrada como lesão corporal e disparo de arma de fogo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a unidade está com diligências em andamento para esclarecer a origem do disparo que feriu o adolescente.

Acusado de estruturar o PCC no DF é suspeito de explodir banco em Araçatuba

Apontado pelas forças de segurança como um criminoso reincidente, Adelson Rocha Campos, 49, foi, recentemente, alvo de dois mandados de prisão. 

Atualizado

Por:Uol 04/01/2022 às 09:34

Acusado de estruturar o PCC no DF é suspeito de explodir banco em Araçatuba
Criminosos chegaram a espalhar explosivos durante ação em Araçatuba (SP) Imagem: Reprodução


No primeiro, expedido pela Justiça do Distrito Federal, ele é acusado de estruturar e expandir o PCC (Primeiro Comando da Capital) em Brasília.


O segundo mandado de prisão foi assinado pelo juiz Emerson José do Couto, da 1ª Vara Federal de Araçatuba (SP). Adelson é suspeito de ter participado do roubo a bancos com explosivos em Araçatuba, em agosto do ano passado, um dos ataques mais violentos da história do país.

Ouvido pela reportagem, Willians Francisco de Arruda, advogado de Adelson, disse que seu cliente é inocente e que não há provas contra ele nas duas acusações. O defensor afirmou que Adelson nunca esteve em Brasília, não integra o PCC e, no dia do roubo em Araçatuba, estava em casa.


Mas, segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, Adelson, também conhecido como Luís Adriano e Arlindo Cruz, recebeu do PCC a missão de organizar e articular o avanço da facção criminosa na "área 61", como é denominada a região de Brasília e seu entorno.


A tarefa dele era atrair para o PCC o maior número de faccionados no sistema prisional e nas ruas do Distrito Federal. Adelson foi apontado por policiais civis como o "geral", o líder principal, da maior organização criminosa do Brasil na "área 61". O número se refere ao código do DDD da região.


Bilhetes na Papuda

As investigações começaram com as apreensões de bilhetes, um telefone celular, um carregador e dois chips no pavilhão de segurança máxima do CIR (Centro de Internação e Reeducação), no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Policiais civis apuraram que os bilhetes foram escritos no CPP (Centro de Progressão Penitenciária) e traziam mensagens codificadas e compilações de artigos do estatuto do PCC, com orientações sobre o avanço do grupo criminoso nas unidades prisionais do Distrito Federal.

Investigadores interceptaram com autorizações judiciais ligações telefônicas de Adelson com presos do Distrito Federal e com outras pessoas em liberdade. De acordo com os agentes, ele articulava de Piracicaba (SP) a expansão do PCC na "área 61".

O Ministério Público do Distrito Federal denunciou Adelson e outros nove acusados - cinco deles de São Paulo - pelo crime de associação à organização criminosa. A Justiça decretou a prisão preventiva dos envolvidos e autorizou a quebra do sigilo telefônico deles.


Aniversário do PCC


O mandado de prisão contra Adelson foi cumprido no dia 31 de agosto de 2021, um dia após o roubo violento em Araçatuba, e, coincidentemente, no dia do aniversário de 28 anos do PCC, fundado no ano de 1993 na Casa de Custódia e Tratamento de Taubaté (SP).


Em ação conjunta, policiais civis de São Paulo e de Brasília prenderam Adelson na casa dele, no bairro Jardim Gilda, em Piracicaba. No mesmo imóvel, também foram presos Lucas Dias Tavares, 31, Guilherme Ciareli dos Santos, 25, e Christian Domingues, 45.


Os quatro são suspeitos de envolvimento no roubo a banco em Araçatuba e tiveram a prisão preventiva decretada pelo juiz federal Emerson José do Couto. Christian, porém, foi solto por ser primário, ter residência fixa e porque não havia provas suficientes contra ele.


Em depoimento, Lucas afirmou que era fugitivo da Justiça do Distrito Federal e admitiu ter sido um dos líderes do PCC em Brasília, Ele negou participação no roubo de Araçatuba e não soube explicar o que fazia na casa de Adelson. Contou que foi para lá no dia 27 de agosto e não saiu depois.


R$ 12 milhões em joias

De acordo com investigações da Polícia Federal, Guilherme Ciareli atuou no assalto em Araçatuba e, na fuga, foi ferido com um tiro no braço. Agentes garantem que ele se refugiou na residência de Adelson.


Ao depor, Adelson alegou que acolheu Guilherme em casa a pedido de antigos "irmãos" do PCC, cujos nomes não revelou. Disse ainda que deu abrigo a Lucas atendendo solicitação de um padre. Acrescentou que não é integrante do crime organizado e que não atuou no roubo em Araçatuba.


Adelson é condenado a 29 anos por latrocínio (roubo seguido de morte) e, de acordo com o advogado Willians Francisco Arruda, ele cumpria pena em regime aberto. O defensor ressaltou que as acusações contra o cliente são apenas ilações e baseadas em ligações telefônicas.


O advogado disse à reportagem que, até agora, nem a Polícia Civil de Brasília nem a Polícia Federal de Araçatuba apresentaram provas contra Adelson. Segundo Arruda, no dia do roubo em Araçatuba, o cliente dele estava em casa e tem álibi para comprovar.


O assalto em Araçatuba levou pânico à cidade, deixou dois inocentes mortos e outros feridos. Os criminosos ligados ao PCC, usaram armas de guerra e 150 kg de explosivos. Os ladrões roubaram R$ 4,3 milhões em espécie de um banco e R$ 12 milhões em joias do setor de penhor de outra agência.


Recém-nascida é encontrada morta dentro de saco de lixo e mãe é presa em flagrante por infanticídio

Corpo da criança apresentava ferimentos provocados por instrumento perfurocortante. Crime foi em Presidente Prudente, nesta segunda-feira (3).

Atualizado

Por: G1 04/01/2022 às 09:03

Recém-nascida é encontrada morta dentro de saco de lixo e mãe é presa em flagrante por infanticídio
Faca possivelmente usada no crime foi apreendida pela polícia — Foto: Polícia Civil/Cedida

Uma mulher de 30 anos foi presa em flagrante por infanticídio, em Presidente Prudente (SP), nesta segunda-feira (3). Ela é acusada de matar a própria filha recém-nascida em sua casa, no Residencial Tapajós. Uma faca, possivelmente utilizada no crime, foi apreendida.


Em relatório preliminar de exame necroscópico foi apontado que a vítima era recém-nascida, do sexo feminino, cor branca, medindo 50 cm de altura, e que o corpo apresentava múltiplos ferimentos causados por instrumento perfurocortante.


“Apurou-se, ainda, que a examinada [criança] respirou após o nascimento (nasceu com vida) e que a causa da morte foi politraumatismo em decorrência de ferimentos por instrumento perfurocortante”, diz o laudo.


Uma faca foi apreendida pela Polícia Científica durante o trabalho pericial na casa onde ocorreu o crime.


Conforme consta no boletim de ocorrência, todos os elementos apresentados, em especial, as oitivas dos policiais e de uma testemunha, indicam o crime de infanticídio.


O delegado ainda levou em consideração que o crime foi logo após o nascimento da criança. Ele cita que o "estado puerperal da autora como elemento presente quando o cometimento do crime". "É a situação em que a mulher, sob o trauma da parturição e dominada pelos elementos psicológicos, pratica a morte do recém-nascido", explicou.


No boletim de ocorrência, ele também enfatizou que a conduta da mulher "ocorreu logo após o parto, o que faz presumir estar ela sob a influência do estado puerperal, já que este é o efeito costumeiro de qualquer parto, não depende o seu reconhecimento de prova pericial".


Os fatos

A princípio, a Polícia Militar foi acionada para “auxílio à gestante” em uma casa do bairro Tapajós. Quando a equipe chegou ao local, constatou que a então gestante havia sido socorrida ao Hospital Regional e foi recebida por uma testemunha.


Dentro da residência, os militares constataram muitas manchas de sangue em vários cômodos e móveis, além de garrafas de vidros estilhaçadas e uma faca que estava em cima da pia do banheiro.


Posteriormente, os policiais visualizaram um saco de lixo de cor preta e dentro dele o corpo de um bebê, em óbito.


Depois dos trabalhos periciais, os policiais constataram que “a vítima apresentava múltiplas lesões similares àquelas produzidas por faca”.



Mensagens


Segundo o boletim de ocorrência, a testemunha relatou que sua prima havia entrado em contato por mensagens, “informando que teria sofrido um aborto, e que estava sangrando muito, com desmaios”. A mulher foi ao local e solicitou auxílio de uma Unidade de Resgate.


A testemunha acrescentou, em sua versão à polícia, que por volta de 13h recebeu mensagens da prima via WhatsApp. “Ela dizia ter sofrido um aborto, e que a casa estava com sangue, e que ela também estava com dor”, que “estava muito fraca e que precisava que [a prima] fosse ao local”.


Quando a testemunha chegou à casa, abriu a porta e assim que entrou viu a suspeita nua e deitada no sofá na sala. “Percebeu que ela estava pálida e com os lábios esbranquiçados. A testemunha notou, ainda, que o interior da casa estava cheio de sangue”, segundo o registro policial.


A mulher foi questionada e declarou ter sofrido um aborto e desmaios.


Equipes da Polícia Civil estiveram no local do crime e verificaram também que o cadáver da recém-nascida apresentava sinais de violência corporal.


“Entrevistada no HR, a autuada informalmente admitiu a prática delitiva, aduzindo que foi tudo muito rápido e não sabia o que fazer”, consta no registro policial.


A mulher ainda não foi interrogada devido a estar sob atendimento médico-hospitalar no Hospital Regional.


Por meio de nota, o HR afirmou que a paciente deu entrada no Pronto-socorro do hospital por volta das 17h desta segunda-feira (3). "Neste momento ela permanece em observação pela equipe médica e multiprofissional e seu estado de saúde é considerado estável", informou.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

Homem morre após ser atropelado por veículo em Irapuru - Adamantina Notìcias

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o autor do acidente não foi identificado e não permaneceu no local. Atropelamento foi registrado na noite deste domingo (2).

Atualização

Por: G1  03/01/2022 Às 07:21

Homem morre após ser atropelado por veículo em Irapuru  -  Adamantina Notìcias
Homem morreu após ser atropelado na Rodovia Julio Budiski, km 78,9, em Irapuru — Foto: Polícia Rodoviária

Um homem, de 48 anos, morreu atropelado na noite deste domingo (2), na Rodovia Julio Budiski, km 78,9, em Irapuru (SP).

Segundo a Polícia Militar Rodoviária, o acidente foi por volta das 21h55. A vítima foi atropelada por um veículo que, ainda conforme a corporação, não permaneceu no local e não foi identificado.


A perícia foi acionada e compareceu ao local.


A ocorrência de atropelamento foi registrada no Plantão Central de Adamantina para apuração dos fatos.


A vítima era moradora de Junqueirópolis (SP).

Bolsonaro é internado em hospital de São Paulo - Adamantina Notìcias

O presidente chegou na madrugada e deu entrada com suspeita de obstrução intestinal

Atualização

Por: SBT News 03/01/2022 ÀS 07:04

Bolsonaro é internado em hospital de São Paulo  -  Adamantina Notìcias
FOTO - Réprodução Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro está internado no hopistal Vila Nova Star, em São Paulo. Ele chegou na madrugada, após desembarcar de Santa Catarina, onde passou o fim de ano com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro.


A internação foi confirmada pelo médico-cirurgião Antônio Luiz Macedo, que acompanha a evolução do presidente desde a facada em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral.


O médico estava em viagem ao Estados Unidos e está retornando ao Brasil. Ele confirmou que o presidente sente dores abdominais e, por isso, foi levado ao hospital. A suspeita é de obstrução intestinal. Bolsonaro deve passar por exames para confirmar o diagnóstico.


Histórico

Desde que foi atingido pela facada em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro já precisou ser internado cinco vezes para cirurgias relacionadas ao incidente. A última vez em 14 de julho de 2020 para tratar um quadro de suboclusão intestinal. Ele teve alta quatro dias depois.


O presidente chegou em São Francisco do Sul (SC) na segunda-feira (27.dez) e, desde então, tem publicado suas atividades nas redes sociais.

close button
Anuncie